Hermes Trismegistus, 367

Bitola

Por Fabio Castilho 19 de janeiro, 2018 3

Bitola

Bitola, por definição, é uma medida reguladora, restritiva, temos vários exemplos de bitola: fios e tubos (diâmetro), filmes fotográficos, trilhos e eixos de trem, entre outros.

“Todo homem toma os limites de seu próprio campo de visão como os limites do mundo.”

Schopenhauer, Arthur

A bitola influência sua vida mais do que você imagina, usando um exemplo exagerado, a largura dos foguetes de lançamento de alguns ônibus espaciais foram limitados pela bitola utilizada pelos trens americanos, pois foram transportados para a base de lançamento pelos trilhos, passando por túneis, que normalmente são um pouco mais largos que os trens.

 

A bitola usada nos Estados Unidos da América (EUA) é das bigas romanas, que eram puxadas por um ou mais pares de cavalos, logo, sua largura era determinada pelas ancas (quadril ou traseira) dos cavalos romanos. Extrapolando, podemos dizer que a os foguetes de lançamento dos ônibus espaciais da NASA foram limitados pela largura da bunda dos cavalos romanos.

 

Bitola também é sinônimo de cércea, que entre outras coisas, é o nome de um instrumento, uma fôrma, que atua como gabarito para o corte de pedras. Talvez este instrumento seja mais conhecido pelo verbo derivado, cercear, que significa entre outras coisa, limitar a ação, impor limites, restringir.

 

Dizemos daqueles que têm limitações intelectuais, que estes são bitolados, pois limitam a amplitude de seus conhecimentos, limitados por algum dogma imposto ou ainda, por regras ou normas mal fundamentadas (isso quando tem algum fundamento).

 

Agora, sem queremos ser donos da verdade, até porque para a corrente hermetista,  todas as verdades são meias verdades, gostaria de convidar, os irmãos (que laboram diuturnamente, do “meio dia à meia noite”), ou mesmos frateres, sorores, bem como, nossos amigos que frequentam ou professam qualquer tipo de culto, seja na seara  do judaísmo, catolicismo ou mesmo as nossas queridas religiões de matriz africana, entre outras: Será que em nossas Ordens Iniciáticas, ou mesmos religiões citadas,  plasmam sua razão de existência única e exclusivamente apenas nos seus ritos ou rituais? Será que não existe nenhuma outra coisa além disso? Ou melhor, será que o ritual aplicado nestas sessões, são meros protocolos formais? Que sua existência, prática ou não, ou mesmo supressão de certas passagens “chatas”, seriam apenas meros fins protocolares?

 

Certezas, dogmas, escrituras, entre outras coisas afins, são limitantes, elas nos cerceiam, bitolam, cabe a nós questionarmos, não apenas para sermos diferentes ou para sermos simples oposição, devemos com isso elevar o nível de entendimento, não só procurando as origens, as bases, mas também contemporizando, analisando a luz da atualidade, para que assim, sempre caminhemos para frente. Porém, um bom questionador não se melindra ao ser questionado, pois, é assim que o diálogo se mantém aberto e os conhecimentos são expandidos.

 

Nem todos os limitantes são claros como bitolas ou cérceas, alguns conceitos estão tão arraigados que nos limitam e nem os percebemos, é o caso dos antolhos, dispositivos que limitam a visão dos quadrúpedes, fazendo com que estes só enxerguem o que lhes passa a frente, não permitindo observar outros pontos de vista.

 

Para aqueles que se dizem iniciados, seja no campo de alguma das escolas herméticas (ou pelo menos que se dizem herméticas), ou mesmo religioso, como rabinos, zeladores, sacerdotes, médiuns etc., deixo aqui a secular e enigmática frase de William Shakespeare, para nossa reflexão:

Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia”.

 

Assim, quem sabe, não nos conservaremos menos “bitolados”?


3 Comentários

  1. Weder Glaicon disse:

    Parabéns Ir.’. ótimo texto para uma reflexão. Weder Glaicon M.’.M.’.’. ARLS. União Amor e Harmonia 325

  2. Leonardo de Souza disse:

    Muito bom o artigo Ir.’.

  3. Silvério de Paula disse:

    Cada um de nós temos nossa bitola que mede as ações de acordo com a educação e valores que recebemos durante nossa vida.

Deixe o seu comentário!